INCT Brasil Plural participa de Reunião dos INCTs no CNPQ

26/09/2019 15:40

A professora Deise Lucy Montardo, do Comitê Gestor, representa o INCT Brasil Plural na reunião preparatória do Seminário de Monitoramento e Avaliação dos projetos do Programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia.

Transmissão pelo link: https://video.rnp.br/portal/transmission.action?idItem=56258&fbclid=IwAR116hLHM7tYi_BEdGdw446LbDVsntoqedsM1xR6qKgJ3WNHZQ3szB2zGLc

Fotografias de objetos Ticuna da coleção etnográfica de Spix e Martius chega ao Museu Magüta, o museu do Povo Ticuna

10/09/2019 11:55

Em meados de julho de 2019, Silvana Teixeira, doutoranda do PPGAS/UFAM, sob orientação da Profa. Dra. Deise Lucy O. Montardo, pesquisadora do Instituto Brasil Plural e do grupo de pesquisa Maraca, retorna ao Museu Magüta, o museu do Povo Ticuna, na cidade de Benjamin Constant, para compartilhar com os indígenas deste museu os resultados de sua pesquisa sobre objetos Ticuna realizada na Coleção Spix & Martius, do Museum Fünf Kontinente – MFK, de Munique, e em outros museus da Europa. O levantamento dos objetos aconteceu durante o seu doutorado-sanduíche, na Ludwig-Maximilian Universität – LMU, em Munique, Alemanha, no período de março de 2018 a junho de 2019, sob orientação do Prof. Dr. Wolfgang Kapfhammer. O trabalho de pesquisa desenvolvido no Museum Fünf Kontinente propiciou o acesso a essas peças e trouxe à luz o conhecimento sobre os objetos coletados nas comunidades indígenas Ticunas há 200 (duzentos) anos.
No ano de 1817, Maria Leopoldina, arquiduquesa da Áustria, muda-se para o Brasil por ocasião das núpcias contraídas com D. Pedro de Alcântara, que mais tarde se tornaria o primeiro imperador do Brasil. Acompanhava Leopoldina uma expedição científica composta por ilustres estudiosos do reino da Áustria, como o taxidermista Johann Natterer responsável pelo setor de zoologia. Do reino da Baviera foram enviados pelo rei Maximilian José, os zoólogos e médicos de formação Johann Baptist von Spix e Carl Friedrich Phillip von Martius. Nos anos de 1817 a 1820, Spix e Martius empreenderam viagem pelo interior do Brasil coletando amostras e reunindo informações sobre a fauna, flora, o clima, os povos nativos, os minérios e tudo o que considerassem relevante para os estudos científicos e de viabilidade econômica para a época. Em 1819, Spix e Martius chegam a Belém no Pará e, de lá, partem em viagem pelo Rio Amazonas. Enquanto Martius, uma vez na região de Tefé, decidiu navegar pelo rio Japurá, Spix seguiu viagem pelo Solimões, no dia 7 de dezembro de 1819, e chegou a Tabatinga a 9 de janeiro de 1820. Retornou à região de Manaus em 3 de fevereiro desse mesmo ano. Spix esteve na região de São Paulo de Olivença, onde coletou máscaras e outros objetos utilizados no ritual da “moça nova”, o rito de iniciação feminina que ainda hoje segue sendo realizado pelo Povo Ticuna.As máscaras coletadas por Spix entre os Ticuna e as máscaras adquiridas com os Juri-Taboca no Rio Japurá, por Martius, possuíam grandes semelhanças e passaram para a história em uma litogravura na qual participavam juntas de um ritual dos Ticuna. A coleção Spix e Martius de objetos dessas etnias conta com 92 peças, sendo 58 ainda existentes e 34 apenas constando em catálogo. Das 58 peças existentes, verificamos 45, sendo 23 da etnia Ticuna e 22 dos Juri-Taboca.
Uma publicização contextualizada foi a escolha para compartilhar com os indígenas no Museu Magüta as informações do que existe sobre os mais antigos objetos Ticuna e onde estes objetos estão localizados. O intuito é que os indígenas se apropriem dessas informações para uso em suas próprias pesquisas. Utilizamos a fotografia como um meio de aproximação dos objetos que estão nos museus etnológicos. Anka Krämer, responsável pelo arquivo de fotografias do Museu Fünf Kontinente, doou um conjunto de 20 fotografias impressas em alta qualidade para que pudessem ser expostas no Museu Magüta. Além destas, foram doadas 40 fotografias dos arquivos do MFK e informações sobre os acervos, bem como fornecido o contato dos curadores dos museus que fizeram parte desta pesquisa.
A apresentação das fotografias em Benjamin Constant, em julho último, movimentou a comunidade indígena Ticuna e a demanda por informações foi tão intensa que o Museu Magüta preparou uma pequena exposição com as fotografias e promoveu duas Rodas de Conversa entituladas, objetos Ticuna em museus etnológicos da Europa. Nessas conversas, foram apresentadas à comunidade indígena Ticuna informações sobre os objetos expostos nas fotografias. A primeira Roda de Conversa foi para convidados da diretoria do Museu e a segunda, para os professores da escola indígena da Comunidade
de Filadélfia. À convite da Prof. Msc. Maria Francisca Nunes de Souza, do Instituto Natureza e Cultura da Universidade Federal do Amazonas INC/UFAM, fizemos uma terceira roda de conversa com o título Projetos de colaboração, museus e comunidades de Povos originários, para 43 alunos dos cursos de Artes Visuais e de Pedagogia (Programa PARFOR) compostos em maioria por alunos indígenas, visando difundir as possibilidades de pesquisa que esse material pode oferecer.
As pesquisas realizadas nos acervos dos museus etnológicos de Munique, Berlim, Viena e Basel só foram possíveis devido à mediação realizada pelo Prof. Dr. Wolfgang Kapfhammer, idealizador do convênio firmado entre o Instituto de Etnologia da LudwigMaximiliam Universität – LMU, em Munique, Alemanha, e o Programa de PósGraduação em Antropologia Social – PPGAS/UFAM.


Montagem das fotografias por artesãs ticuna

Coleção Brasil Plural em e-book em acesso gratuito

28/06/2019 09:38

Proporcionar amplo acesso à produção científica e acadêmica é uma tarefa fundamental para a democratização do conhecimento produzido nas universidades. Finalmente os livros da Coleção Brasil Plural, em parceria entre o INCT Brasil Plural e a editora da UFSC, estão disponíveis em e-book pelo site da editora. Acesse a página no link: http://editora.ufsc.br/estante-aberta/ , ou nos links específicos abaixo.

INCT Brasil Plural apoia vinda da professora Anna Tsing ao Brasil para participar da VII ReACT

02/05/2019 12:16

Na próxima segunda-feira, 6/5, a professora Anna Tsing fará a palestra “Viver nas Ruínas: paisagens multiespécies no antropoceno” na UFSC. O evento ocorrerá das 15 às 18 horas, auditório do CFH, e é aberta ao público acadêmico.

 

Anna Lowenhaupt Tsing é professora na Universidade de California Santa Cruz e veio ao Brasil, com o apoio do IBP, para participar da VII Reunião de Antropologia da Ciência e da Tecnologia que acontecerá na UFSC, de 7 a 10 de maio.

Outras informações sobre a VII ReACT estão disponíveis em https://www.doity.com.br/viireact

 

Tags: eventonoticia

UFMT promove colóquio interdisciplinar sobre direitos dos povos tradicionais

17/04/2019 11:34

A professora da UFMT, Sonia Regina Lourenço, também pesquisadora vinculada ao INCT Brasil Plural, participará do colóquio “Interculturalidade, Territórios e Direitos: Povos Indígenas e Quilombolas na Constituição Brasileira”. O evento acontece na terça-feira (23), a partir das 20h, no auditório da Faculdade de Direito da UFMT. Mais informações em:

http://www.ufmt.br/ufmt/site/index.php/noticia/visualizar/45814/Cuiaba

Tags: eventonoticia

Nota de falecimento e pesar – Patrick Menget

16/04/2019 13:16

 

Morreu neste último sábado, 13/04, em sua casa de Budapeste, Hungria, o antropólogo francês Patrick Menget, de 77 anos. Um verdadeiro amigo de seus colegas brasileiros, alguns desde 1969, Patrick foi professor visitante na UFSC, em 2010, e pesquisador associado do INCT Brasil Plural, com ativa participação no departamento de antropologia em muitas oportunidades. Aposentado pela École Pratique des Hautes Études em Paris, foi por mais de duas décadas professor de etnologia indígena e teoria antropológica na Universidade de Nanterre, onde formou mais de uma geração de talentosos antropólogos e ajudou a redefinir a agenda da Etnologia Amazônica desde os anos de 1980. A visibilidade internacional que a antropologia feita no Brasil atingiu nos últimos anos deve muito ao diálogo com Patrick. Como ex-aluno de David-Maybury-Lewis nos Estados Unidos e de Claude Lévi-Strauss, que orientou sua tese de doutorado, na França, Patrick sabia conciliar e abrir espaços para diferentes tradições na antropologia, tendo sido um generoso anfitrião de muitos antropólogos brasileiros em suas passagens por diferentes Instituições francesas. Foi também um militante ativo dos direitos indígenas no braço francês da Survival Internacional. Os professores do departamento de antropologia da ufsc que tinham Patrick como colega e amigo juntam-se no pesar pelo seu falecimento e nas condolências à família.

Pesquisa sobre música indígena é apresentada na Espanha

11/12/2018 11:54

Agenor Vasconcellos, doutorando no PPGAS-UFAM, orientado pela professora Deise Lucy Montardo, apresentou sua pesquisa “Música kuxiymauara entre os Yepá-Mahsã: essa guitarra tem alma”, no XV Congresso da Sociedade de Etnomusicologia, que ocorreu em novembro, em Oviedo, Espanha.

https://amazonasatual.com.br/pesquisa-sobre-musica-indigena-e-apresentada-na-espanha/?fbclid=IwAR3D-XLswhxr-p5FLz12AHW1ouyj2MssrgGIJkrCm8Gkri6r7nebtNwo9GQ

Políticas, saúde, subjetividades: pluralidade na atuação de Sonia Maluf

02/11/2018 11:50

Sonia Weidner Maluf, antropóloga professora do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFSC, que recentemente se aposentou, depois de mais de 30 anos de contribuições acadêmicas para as ciências sociais brasileiras, será homenageada com um evento multilocal. As atividades acontecerão na UFSC, na UnB, na UFMT e na UFAM, todas universidades que fazem parte das redes de pesquisa do INCT Brasil Plural.

Professora Esther Jean Langdon passa duas semanas como professora visitante na Colômbia

05/10/2018 12:58

A professora Esther Jean Langdon, coordenadora do IBP, está realizando uma série de atividades como professora visitante na Universidad Nacional de Colombia. Entre estas, apresentará a palestra “Antropologia y Salud: Perspectivas de America Latina”, exibirá o documentário “Taller de Bain Coca”, sobre os Siona e encerrará suas o período com a aula magistral “Chamanismo y performatividad en tiempos de derechos culturales y violencia”, para os estudantes da pós-graduação em antropologia.