Patrimônio, Cultura, Educação e Arte
EMail

As ações das redes de pesquisa do Instituto Nacional de Pesquisa Brasil Plural direcionadas para patrimônio, cultura e educação são amplas e variadas, incluindo produção de documentários etnográficos e de CDs; elaboração de bancos de dados; desenvolvimento e teste de ferramentas computacionais; formação de professores indígenas; e realização de eventos abertos para a comunidade, entre outras.

No âmbito da rede (Políticas e redes) x (heterogêneas e comparadas) o subprojeto Atividades produtivas no Médio Purus indígena engloba em seus objetivos a realização de um documentário etnográfico sobre as práticas produtivas na região do Médio Purus. Somado a isto, as pesquisas desenvolvidas no âmbito deste subprojeto têm envolvido professores indígenas e não-indígenas que atuam nas escolas comunitárias, incluindo estudantes do curso de Pedagogia Indígena Intercultural da Universidade Estadual do Amazonas (UEA), no campus de Lábrea. Deste modo, o projeto pretende colaborar na formação e capacitação de professores e lideranças indígenas para a elaboração e encaminhamento de projetos sobre manejo sustentável de recursos e de geração de renda junto às comunidades na região do Médio Purus. De maneira semelhante, o subprojeto Redes de relações sociais ameríndias comparadas: arauá, caribe e tukano tem entre seus objetivos construir etnografias com os próprios indígenas situados no papel de etnógrafos.

Já em Redes de intercâmbio e aviamento no Médio Purus e Guiana Oriental pretende-se criar uma base de dados relacional articulando informações genealógicas, residenciais, geográficas e outras, sobre a região do Médio Purus. Os objetivos deste projeto incluem também adaptar, aprimorar e testar ferramentas computacionais já existentes, mas ainda pouco utilizadas pela etnologia americanista, de modo a desenvolver novas metodologias para o estudo de articulações regionais nas terras baixas sul-americanas. Outro projeto que direciona-se para testar e divulgar o uso de programas computacionais para a análise de informações genealógicas é Criando e recriando parentesco – Economia das trocas matrimoniais no Baixo Amazonas. Destaca-se que o uso deste tipo de ferramenta analítica atualmente ainda é bastante restrito no Brasil. Deste modo, o projeto pretende oferecer subsídios para os estudos do parentesco desenvolvidos no país.

O subprojeto Arte e Sociabilidade na Amazônia da rede Arte, Performance e Sociabilidade tem atuado no acompanhamento e produção de vídeos e CDs de música indígena produzidos com financiamento de editais específicos para patrimônio imaterial. Este trabalho tem sido realizado através de assessoria às organizações indígenas que são as proponentes, como é o caso do Projeto Podáali, valorização da música Baniwa, proposto pela Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (FOIRN) e executado pela Associação Cultural Indígena Casa de Conhecimento (ACICC), bem como do CD Acalanto, produzido pelo pesquisador do Grupo de Estudo Arte e Cultural, Ricardo de Sá, e a antropóloga Andrea Prado, da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), realizado também em conjunto com as associações indígenas, com músicas das mulheres do Alto Rio Negro. Já o projeto de extensão Música e Cultura, vinculado ao subprojeto Arte Cultura e Sociedade na América Latina e Caribe, desta mesma rede, organizou um Encontro de Vídeo Etnográfico, realizado em agosto de 2011 na Igrejinha da UFSC. Foram exibidos dois vídeos documentários: Através do Samba, produzido no marco de um projeto de extensão do Curso de História da UDESC, e O Poder da criação. Uma etnografia da composição de samba-enredo, de Marcelo da Silva, mestrando no PPGAS/UFSC. O encontro foi realizado com o apoio do Departamento Artístico Cultural da UFSC e foi aberto à comunidade.