(Política e redes) x (Heterogêneas e comparadas)
EMail

Coordenação: Márnio Teixeira-Pinto (UFSC)

Esta rede aborda questões que procuram ligar grandes temáticas da antropologia, como o parentesco,a política e  a natureza do vínculo social a contextos socioculturais contemporâneos, articulando regimes e modos de sociabilidades e conceitos nativos – em que ‘nativo’ remete tanto aos órgãos do estado, suas instâncias e seus congêneres, a chamada ‘sociedade envolvente’, quanto às populações  ditas tradicionais. Por situar nas articulações entre o Estado e as comunidades, a proposta desta rede visa oferecer subsídios etnográficos e analíticos procurando orientar simultaneamente, avanços etnográficos e teóricos na disciplina e a produção de políticas públicas.

Por sua própria natureza, tal empreendimento pede uma abordagem contrastiva entre teorias nativas de coletivos humanos histórica e geograficamente distantes. A noção de ‘rede’ que orienta o conjunto das pesquisas ligadas ao projeto, nos permite dar conta da constelação de conceitos que regem as diversas relações entre as comunidades ou entre as comunidades e o Estado. Tal noção remete tanto a vínculos sociais, suas variações e as transformações que nela se estabelecem, quanto aos seus efeitos sobre pessoas, comunidades e instituições que a compõem. Porém, a própria noção de ‘rede’, mais que um dado, funciona como um guia orientador na busca dos vínculos a serem seguidos nas pesquisas. Esta premissa metodológica sugere imaginar a todos os atores também como “antropólogos”, pois nada há de mais generalizável do que o fato de que os nativos articulam seus próprios princípios epistemológicos para tecerem ideias próprias sobre eles próprios e os “outros” que historicamente fazem parte de suas existências. Neste sentido, a caracterização de “redes sociais” aparece como a estratégia fundamental, procurando entender o que nelas deriva de conceitos, práticas e dinâmicas dos nativos envolvidos, através de suas específicas temporalidades.

De modo geral, e como suposto fundante da proposta, nos parece que a antropologia, tanto através de suas temáticas quanto de suas teorias mais abstratas, pode ser sempre fonte preciosa de orientação na produção de políticas públicas que não impliquem a substituição de uma forma de criatividade e vida (daqueles que são alvos das politicas) por outra (a do Estado). É disto que, sobretudo, e principalmente, trata a proposta desta rede.

Projetos articulados à rede____________________________________________

Pesquisadores associados____________________________________________