Instituições de Ensino e Pesquisa

Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC

Departamento de Antropologia

O Departamento de Antropologia foi criado em 1995, a partir do desmembramento do Departamento de Ciências Sociais, mas as pesquisas antropológicas iniciaram-se na UFSC muito antes, na antiga Faculdade de Filosofia, nos anos 1950. Sob a iniciativa de Osvaldo Rodrigues Cabral, o primeiro titular da disciplina de Antropologia Cultural e pesquisador preocupado com questões sociais e culturais, e seus assistentes Walter Piazza e Silvio Coelho dos Santos, foi criado em 1968 o Instituto de Antropologia (IA). A Reforma Universitária de 1970 transformou o IA  em Museu de Antropologia. Ambos, o IA e o Museu, durante duas décadas produziram pesquisas pioneiras em arqueologia e etnologia, prepararam novos profissionais e exerceram papel significativo na consolidação da Antropologia na UFSC e em Santa Catarina.

Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social

O Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal de Santa Catarina (PPGAS-UFSC), vinculado ao Departamento de Antropologia, mantém cursos de mestrado e doutorado. O de mestrado remonta ao ano de 1979, data de criação e abertura da primeira turma do então Mestrado em Ciências Sociais (com habilitação em Antropologia e Sociologia). Em 1985 foi criado o Programa de Pós-Graduação em Antropologia e, a partir de 1999, iniciou o curso de doutorado. Visite http://www.antropologia.ufsc.br/ppgas/

 

Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC

Programa de Pós-Graduação em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental – MPPT

O Programa de Pós-Graduação em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental – MPPT, reconhecido pela CAPES em 2006, iniciou suas atividades acadêmicas no ano de 2007, com o ingresso da primeira turma de mestrado profissional. Vinculado ao Departamento de Geografia (DG) do Centro de Ciências Humanas e da Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), o curso conta com a participação de docentes deste departamento e ainda de professores do Departamento de Ciências Humanas da FAED e do Centro de Artes/UDESC, do Departamento de Artes Cênicas. O Departamento de Geografia da UDESC oferece ao curso a infraestrutura dos laboratórios de Geoprocessamento, Cartografia, Geologia e Mineralogia, Planejamento Urbano e Regional, Estudos Climáticos e Oceânicos, e, ainda, dos núcleos de Estudos Ambientais (NEA), de Políticas Públicas (NEPP), de Relações de Gênero e Família (LABGEF) e do Grupo PET- Geografia – UDESC (Programa de Educação Tutorial, MEC-SESu).

As linhas de pesquisa são:

a) Planejamento territorial e desenvolvimento social, econômico e espacial: trata do planejamento do território buscando soluções de desenvolvimento social, econômico e espacial. O processo de planejamento territorial é apoiado na proposição de pesquisas que tratam, teórica e empiricamente, de processos sociais, econômicos e espaciais, como os desequilíbrios econômicos intraurbanos ou intrarregionais. Desta forma, os trabalhos vinculados a esta linha de pesquisa buscam oferecer alternativas e oportunidades concretas de superação das práticas de desenvolvimento que atualmente têm se mostrado insuficientes.

b) Análise e gestão ambiental: visa pesquisar a dimensão ambiental, na perspectiva do planejamento, buscando o estudo do conjunto dos componentes e fatores naturais que interatuam com os diferentes setores sociais e econômicos, tendo por princípio a preocupação com a sustentabilidade ambiental. A contribuição desta linha de pesquisa está pautada na ênfase das etapas de inventário, diagnóstico, mapeamento e análise do quadro natural e ambiental, ao integrar os processos da sociedade e da natureza e de gestão ambiental.

Visite http://www.mppt.udesc.br/

Universidade Federal do Amazonas – UFAM

Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social

Criado em 2007, o Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Amazonas (PPGAS-UFAM) conta com cursos de Mestrado e Doutorado em Antropologia Social, sendo o primeiro da região norte do Brasil. O programa surgiu da demanda induzida pela Capes, que resultou na contratação de dez docentes com nível de doutorado em antropologia e investimentos na implantação do curso. O programa tem se constituído a partir de uma articulação com centros de excelência em antropologia no Brasil, buscando explorar temas de ponta da disciplina a partir da realidade amazônica. Visite http://www.ppgas.ufam.edu.br/ 

 

Fundação Oswaldo Cruz – Instituto Leônidas e Maria Deane – FIOCRUZ AM

O Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD) é a unidade técnico-científica da Fundação Oswaldo Cruz na Amazônia, localizada no estado do Amazonas, com sede na cidade de Manaus. Sua missão é contribuir para a melhoria das condições de vida e saúde das populações amazônicas e para o desenvolvimento científico regional. Para tanto, são estabelecidas parcerias com instituições de ensino e pesquisa da região, que proporcionam o desenvolvimento de projetos de caráter multidisciplinar e interinstitucional, gerando dados essenciais para a criação de políticas públicas que primam pela melhoria da qualidade de vida da sociedade em geral. Visite http://www.amazonia.fiocruz.br/

 

 

Universidade Federal do Mato Grosso – UFMT

O Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) tem sua criação ligada ao Departamento de Antropologia da Universidade Federal de Mato Grosso e ao Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia. O Departamento de Antropologia foi em 1992, vinculado ao Instituto de Ciências Humanas e Sociais, quando a área se desmembrou do Departamento de História, no processo de reforma universitária da UFMT.  No ano de 2003, o Departamento de Antropologia junto com o Departamento de Sociologia e Ciência Política implantaram o Curso de Graduação em Ciências Sociais (Bacharelado e Licenciatura) na UFMT.   Outra esfera de atuação do Departamento de Antropologia refere-se ao Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia (MUSEAR).

Em 1998, com a Resolução nº 08 do ICHS/98, o Museu Rondon tornou-se um órgão vinculado ao Departamento de Antropologia.  O MUSEAR é o Laboratório de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação na produção de pesquisas em áreas estratégicas para o desenvolvimento regional, proporcionando a troca de conhecimentos antropológicos no Brasil e no exterior. A reforma e ampliação da edificação do Museu e a contratação de um Museólogo redimensionaram e requalificaram as suas dependências, destacando-se as salas destinadas para o Laboratório de Pesquisa do Mestrado, sala de orientação, sala de didática e sala de reuniões para discentes e docentes, e um Auditório com 100 lugares para atender a realização de seminários e outras modalidades de eventos do Programa de Pós-Graduação como as edições do Colóquio de Antropologia, defesas de dissertações, seminários e palestras.

As linhas de pesquisa são:

1. Etnicidades, Territorialidades e Cosmologias – Estudos etnográficos e comparados de povos indígenas, socialidades; cosmologias, rituais, arte e sistemas simbólicos; políticas públicas, educação e direitos; políticas indígenas, história indígena e do indigenismo; estudos de fronteiras, conflitos interétnicos, territórios, processos e direitos sobre territórios; movimentos sociais, diásporas e identidades

2. Sociabilidades, Identidades e Subjetividades – Reflexões teóricas e investigações empíricas que têm como foco as dinâmicas socioculturais, com especial ênfase em processos contemporâneos de construção de vínculos sociais, identidades e subjetividades. A linha abrange as seguintes temáticas de pesquisa: relações de gênero e sexualidade; família e parentesco; corporalidade e marcadores sociais da diferença; cultura popular e sociabilidades festivas; performances e produção de sentidos na cidade.

A agenda de trabalho do Departamento de Antropologia abarca uma série de ações para além do ensino nos cursos de graduação da UFMT. Em relação à pesquisa, os cinco grupos certificados pelo CNPq: Gênero, Sexualidade e Família; Caleidoscópio – Núcleo de Estudos de Cultura Popular; Núcleo de Pesquisa em Antropologia Social – Artes, Performances e Simbolismo – NAPAS; Grupo de Pesquisas em Antropologia do Contemporâneo – Sujeitos, Sociabilidades e Visualidades; Núcleo de Antropologia e Saberes Plurais – NAPlus; e Núcleo de Estudos Rurais e Urbanos – NERU. NIT – Núcleo de Antropologia das Sociedades Indígenas e Tradicionais (UFRGS); Núcleo de Estudos Arte, Cultura e Sociedade na América Latina e Caribe (MUSA) associado à Rede Instituto Brasil Plural (IBP-PPGAS- UFSC). Além destas atuações, há pesquisas em desenvolvimento, resultantes da participação de docentes junto à FUNAI, INCRA e Ministério Público Federal na elaboração Laudos, Perícias e Relatórios de Identificação de Terras Indígenas e Quilombolas (RTID).  Visite: http://www1.ufmt.br/ufmt/un/ppgas

 

Universidade de Brasília – UnB