INCT BRASIL PLURAL
  • Publicado em 29/04/2020 às 17:29


  • Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Brasil Plural

    Publicado em 08/06/2014 às 22:55


  • Oficina Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia (Musear) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

    Publicado em 22/09/2022 às 10:36

    Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia (Musear) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Câmpus de Cuiabá, realiza nesta quarta-feira (21), às 08h, a Oficina presencial sobre noções básicas de Preservação de Acervos Museológicos. A ação integra o programa de extensão da unidade, e contará com a participação de servidores de Museu e Centro Cultural de Cuiabá, além de estudantes bolsistas. O evento tem carga horária total de 20h, e segue até a sexta-feira (23).

    A Supervisora do Musear é a professora Sônia Regina Lourenço, pesquisadora do INCT Brasil Plural.

     


  • III Seminário da Rede Antropo-covid

    Publicado em 22/09/2022 às 8:48

    comvite rede

     

     

    covid livrops

    covid
    covid
    covid

     

    covid

    covid


  • XIV Conferência Bienal SALSA 2023 Tríplice Fronteira Amazónica Brasil-Colômbia-Peru

    Publicado em 09/09/2022 às 13:36

    A Sociedade para a Antropologia das Terras Baixas da América do Sul (SALSA) anuncia que a sua XIV Conferência Bienal SALSA terá lugar a partir de 27-30 de Julho de 2023 na Tríplice Fronteira Amazónica Brasil-Colômbia-Peru.

    Será acolhida pela Universidad Nacional de Colombia em Leticia, em associação com a Universidad Nacional de la Amazonia Peruana (UNAP) e a Universidade Federal do Amazonas (UFAM) (Brasil). A organização está a cargo de Juan Álvaro Echeverri, e como co-organizadores Roxani Rivas e Gilton Mendes dos Santos, pesquisador do INCT Brasil Plural.

    Esta será a primeira conferência no coração da Alta Amazónia, num contexto intercultural. Esta será uma Conferência Bienal SALSA, cozinhada e apreciada “en su propia salsa” (“no seu próprio molho”) – ou seja, entre as populações, ambientes, instituições e nações que estão no centro dos seus valores e missão.

    Para maiores informações veja a página oficial da conferencia:

    https://www.salsa-tipiti.org/pt/salsa-conferences/2023-xiv-salsa-biennial-conference/


  • VIII Congresso da Associação Portuguesa de Antropologia (APA)

    Publicado em 08/09/2022 às 15:15

    O VIII Congresso da Associação Portuguesa de Antropologia (APA) está acontecendo neste início do mês 09 em Évora e conta com a participação de pesquisadores do Instituto Brasil Plural em diversos espaços.


    ✨P007. Musicalidades e instrumentos musicais indígenas e afro-indígenas nas Américas. Coordena: Aristoteles BARCELOS NETO (University of East Anglia e Deise Lucy MONTARDO (UFBA- IBP).

    ✨P013. Descolonizando modos performáticos: incertezas, certezas e resistências. Coordena: Scott HEAD (UFSC / GESTO/IBP), Paulo RAPOSO (ISCTE / CRIA/IBP). Participa: Vânia Zikan Cardoso (UFSC/PPGAS/IBP), Marcos Alexandre dos Santos Albuquerque (UERJ/IBP)


    ✨P041. Corpo e espaço público: entre arte e política. Vitor GRUNVALD (UFRGS). Coordena: Paulo RAPOSO (ISCTE / CRIA, IBP).


    ✨P097. Doenças, doentes e profissionais de saúde: desafios antropológicos pós-pandémicos. Coordena: Maria Manuel QUINTELA (ESEL/CRIA – Polo ICTE-IUL), Monica SAAVEDRA (CRIA – Polo UC). Participa: Eliana E. Diehl (UFSC- IBP), Daniel Granada, (UFSC, IBP), Marcia Grisotti, (UFSC/IBP), Maria Conceição Oliveira (UFSC, IBP), Priscila Detoni, (Universidade Federal da Fronteira Sul, IBP).


  • Lançamento do Livro na 33RBA: Antropologias do Contemporâneo: uma homenagem a Sônia Weidner Maluf,

    Publicado em 31/08/2022 às 10:26

    Na noite do 30/08/2022 foi lançado na 33 Reunião Brasileira de Antropologia RBA o livro  Antropologias do Contemporâneo: uma homenagem a Sônia Weidner Maluf, com participação de Érica Quinaglia, quem foi uma das organizadoras.


  • INCT Brasil Plural na 33ª RBA – Reunião Brasileira de Antropologia

    Publicado em 29/08/2022 às 17:51

    A 33ª RBA – Reunião Brasileira de Antropologia começa hoje.  O tema deste ano é Defender direitos e fazer antropologia em tempos extremos.

    A seguir, alguns dos espaços em que participam pesquisadores e pesquisadoras do Instituto Brasil Plural:

     


  • Novidade editorial: Do Sopro ao afeto: Corpos Kõkãmou na experiência xamânica.

    Publicado em 22/08/2022 às 16:37

    Livro de Luiz Davi Vieira Gonçalves (Teatro UEA), pesquisador do INCT Brasil Plural. Tanto a pesquisa, como o livro contaram com o apoio do INCT Brasil Plural.

    O título do livro de Luiz Davi Vieira Gonçalves sinaliza um percurso: Do sopro ao afeto: corpos kõkãmou na experiência xamânica. Em cosmologias Yanomami, o sopro é a alma, o princípio vital que os humanos compartilham com todo ser vivo e inanimado. Todos os seres têm alma. No fundo, humanos e não humanos somos todos humanos. Considerando que este, precisamente, é o significado da palavra yanomami — “humanos” —, somos todos yanomami.
    Se o sopro, ou alma, é comum a todos os seres, os corpos diferenciam. Como feixes de afetos e capacidades, os corpos são feitos, moldados, construídos. Em cada corpo, um ponto de vista — ou, como gosto de pensar, um lugar olhado (sentido e vivido) das coisas. Na experiência xamânica, corpos se transformam, e se multiplicam. Proliferam multiplicidades. Diversos, inúmeros, emergentes — os corpos se apresentam. E se reúnem. Corpos kõkãmou — “juntos”.
    Em sua conhecida parábola sobre a conquista da América, Claude Lévi-Strauss narra um episódio: nas Antilhas, enquanto os espanhóis enviavam comissões de inquérito para saber se os ameríndios tinham alma ou não, estes submergiam prisioneiros brancos, em prolongados e cuidadosos experimentos, para verificar se os seus cadáveres apodreciam ou não. Na interpretação (ou epifania) de Eduardo Viveiros de Castro, esta anedota não apenas revela a força do etnocentrismo — o favorecimento da própria humanidade às custas da humanidade do outro —, mas, também, a diferença de perspectivas. Para os espanhóis, a dimensão marcada era a alma; para os ameríndios, o corpo. Os europeus nunca duvidaram de que os índios tivessem corpos — os animais também os têm. Os índios, por sua vez, nunca duvidaram que os brancos tivessem almas — os animais, as plantas, e os espectros dos mortos também as têm.
    Em sua pesquisa, Luiz segue um percurso ameríndio. Do sopro ao afeto, da alma ao corpo. O pesquisador se atira em uma experiência xamânica. O seu corpo é engendrado. E, com ele, um saber.

    – John C. Dawsey
    Antropologia/USP


  • Novidade editorial: Diálogos contemporâneos sobre corpo(s) Sujeito(s) e Saúde. Perspectivas Cruzadas.

    Publicado em 22/08/2022 às 15:19

    É com alegria que compartilhamos a obra “Diálogos contemporâneos sobre Corpo(s), Sujeito(s) e Saúde: perspectivas cruzadas”, organizada pelo pesquisador Esmael Oliveira (PPGAnt/PPGPsi-UFGD). Prefaciada pela antropóloga Ceres Víctora (PPGAS/UFRGS), a coletânea conta com importantes contribuições de pesquisadoras e pesquisadores de diferentes Universidades brasileiras e pertencentes às diferentes  áreas das Ciências Humanas e Sociais. Entre estes participam pesquisadores das redes do Instituto Brasil Plural: Marcos Aurélio da Silva (PPGAS/UFMT), Ari Ghiggi Jr (PPGAS/UFSC) e Rui Massato Harayama (Instituto de Saúde Coletiva/Ufopa).
    A obra pode ser acessada gratuitamente através do site da editora Segundo Selo: https://bit.ly/3QAYGBP


  • Curso de Extensão “La Paz no tiene trégua”

    Publicado em 19/08/2022 às 9:06

    Inscrições abertas: DIPLOMADO LA PAZ NO TIENE TREGUA, UNAL, Sede Amazonia.

    Pesquisadora do INCT Brasil Plural participa na organização do Curso de Extensão “La Paz no tiene trégua”, oferecido pela Universidad Nacional de Colombia Sede Amazonia. O curso visa gerar a leitura e conhecimento do relatório final da “Comisión de la Verdad”, bem como estimular a reflexão crítica sobre as constatações e recomendações produzidas nas diversas áreas que o CEV contemplou para a compreensão do conflito armado colombiano.

    É oferecido a alunos de graduação e pós-graduação, e a todos os interessados ​​em conhecer o conteúdo do relatório do CEV. O curso de extensão é resultado do trabalho colaborativo de diversos grupos e organizações que se preocupam em pensar a paz a partir de uma perspectiva histórica e regional.

    O curso será realizado de forma híbrida (presencial e virtual simultaneamente) a partir da sede Amazônia da Universidade Nacional da Colômbia. Contempla a realização de 14 sessões: 1 sessão de abertura, 10 sessões de conteúdos, 2 sessões de trabalho dos alunos e 1 sessão de encerramento. O horário do curso de diploma é sexta-feira das 9:00 às 12:00 AM (horário colombiano)

    As primeiras sessões têm um carácter mais descritivo e de contextualização do relatório, da sua composição escrita e multimédia. As sessões seguintes têm um caráter mais analítico e reflexivo do relatório com a participação de especialistas, vítimas e participantes.

    Pode consultar o site da Comisión de la Verdad em: https://www.comisiondelaverdad.co/

    E os volumes do relatório em:  https://www.comisiondelaverdad.co/hay-futuro-si-hay-verdad 

    Será concedido certificado de participação. Para que o curso de diploma seja certificado, 75% das sessões devem ser atendidas.

    Inscreva-se aqui: https://forms.office.com/pages/responsepage.aspx?id=jQBxVG8P9UaCHIovftcKzy63VyZ5HAlNshZcBmnwu35UQzhITDk2MDJaMk5KOTZOT0UzME1JWUNNWS4u

    Transmissão: https://www.youtube.com/channel/UC6Lx2rpEXUYn-lgLov_DlXQ

     

     


  • Tese orientada por pesquisador do IBP entre as 15 finalistas do concurso ANPOCS 2022

    Publicado em 17/08/2022 às 12:23

    É com grande alegria que comunicamos que a tese de Patrícia Postali Cruz intitulada “Entre lavouras, abelhas e humanos: uma etnografia sobre práticas e ritmos na agricultura na região de Pelotas, Rio Grande do Sul ” orientada pelo professor Rafael Victorino Devos, defendida em 2021, foi selecionada entre os 15 finalistas na categoria doutorado o Concurso Brasileiro ANPOCS de Teses e Dissertações em Ciências Sociais do ano de 2022.

    A tese de Patrícia Postali Cruz foi recomendada à premiação pois apresenta contribuição metodológica e teórica relevante para os campos da antropologia da técnica e da antropologia da paisagem, e para abordagens das relações multiespécies. É uma etnografia muito bem elaborada com agricultores no sul do Brasil, com os quais a autora participou ativamente de suas práticas de cultivo e venda de plantas e animais. Destaca-se, em sua tese, o desenvolvimento de uma análise sobre os cultivos de feijão e sobre o trato com abelhas como modos indiretos de manejo da paisagem, seja pelo enriquecimento do solo, seja pela polinização como estratégicos nos policultivos de pequenos agricultores e nas suas lutas pela permanência no território que habitam. Como método de pesquisa a tese se vale da produção de imagens fotográficas e audiovisuais como modo de engajamento nas relações multiespécies, acoplando uma câmera de ação aos objetos técnicos dos agricultores (caixas de abelhas, arados de tração animal) e também acompanhando a lida no campo de perto, que resultaram em várias pranchas fotográficas que permeiam os capítulos do trabalho, assim como uma exposição fotográfica feita de forma compartilhada com os agricultores e um documentário etnográfico, “EntreSeres” que é também um capítulo do trabalho. A tese faz ainda uma revisão bibliográfica primorosa, aproximando o campo de estudos das relações multiespécies ao campo da antropologia da técnica, pela via tanto das discussões sobre paisagem, quanto sobre os modos de vida no campo no Brasil, trazendo nova luz sobre questões clássicas da chamada antropologia rural.